Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2006

Carta ao ministro da Segurança Social

Disse o Sr., ministro considerar "inaceitável a saída precoce do mercado de trabalho com direito a pensão", quando muitas vezes se continua a verificar que "esses trabalhadores continuam a trabalhar até na mesma empresa da qual a pessoa se reformou".


Todos sabemos disso e sabemos que tal situação acontece dentro do próprio estado. E não tem sido o próprio poder político a empurrar para a reforma essas pessoas com decretos-leis específicos como aconteceu na PT, nos CTT, na EDP e nos Bancos que permitiu a reforma antecipada (aos 50 anos de idade, desde que tivessem 30 anos de carreira contributiva, em casos conhecidos)?


Não acontece exactamente o mesmo com inúmeros políticos, classe de que o Sr. Ministro faz parte? Não precisarei certamente enviar-lhe a lista de políticos reformados que continuam a exercer diferentes actividades, algumas altamente retribuídas.


Não lhe parece Sr. Ministro que declarações deste teor mais não são do que terrorismo psicológico que acentuam a angústia e a intranquilidade de quem, por força de lei, desconta ou descontou para Segurança Social?


Não lhe parece Senhor Ministro que a primeira prioridade de qualquer governo é a de zelar pelo bem-estar, desenvolvimento e progresso do povo que o elegeu e não andar diariamente a assustar e a dificultar a vida dos mais pobres?


Não lhe parece Sr. Ministro que se a Segurança Social não puder pagar reformas no futuro, o governo deveria tornar facultativas as contribuições para a mesma? Como encara o Sr., ministro a obrigatoriedade dos cidadãos contribuírem para um sistema de pensões que não pode garantir a dita pensão?


Também lhe pergunto Sr., ministro se acha razoável que as regras de aposentação, para quem começou a trabalhar e a contribuir há quarenta anos atrás, sejam alteradas quando estes cidadãos estão na idade de reforma preconizada quando começaram a trabalhar?


O estado não pode continuar a obrigar os trabalhadores a descontarem para a Segurança Social no actual quadro. O estado não tem o direito de determinar a idade de reforma sem dar alternativa ao trabalhador de escolher entre a obrigatoriedade de descontar para a SS e reformar-se aos 65 anos com a pensão que o governo nesse momento entender, ou deixar que esse mesmo cidadão decida quando e como se decide reformar.


No meu caso Sr., ministro desconto há 41 anos para a SS. São 41 anos de contribuições a 11% do meu salário mais 23% da parte do meu empregador, que como deve compreender saem igualmente do meu salário.


Proponho-lhe que me sejam devolvidas estas contribuições, acrescidas da respectiva capitalização, sendo-me descontado tudo o que a SS gastou comigo. Ficaremos assim quites. O estado nada me deverá e eu nada pedirei ao mesmo estado. O Sr., ministro deixará de se preocupar com a minha pensão e eu não terei de viver angustiado com as suas declarações.


Cordialmente,




publicado por AC às 22:25

link do post | comentar
|

11 comentários:
De Anónimo a 21 de Fevereiro de 2006 às 18:10
Poe enquanto não teve resposta e, a haver, será seguramente no mesmo tom de uma outra resposta a uma carta que enviei ao nosso estimado primeiro, versando o mesmo assunto e que se resumia a acusar a recepção da mesma.JT
(http://desgovernos.blogs.sapo.pt/)
(mailto:Cunhaabel@sapo.pt)


De Anónimo a 21 de Fevereiro de 2006 às 18:04
Mas será que ainda ninguem se apercebeu, que temos de descontar compulsivamente para a Reforma e daqui a uns anitos, não vai haver reforma?
O QUE DESCONTAMOS COMPULSIVAMENTE É SÓ PARA GARANTIR AS REFORMAS, DOS VITOR CONSTANCIOS,DOS SOARES DOS GUTERRES E DOS CAVACOS, A ESSES NÃO FALTARÃO AS REFORMAS A TRIPLICAR OU QUADRUPLICAR, O MEXILHÃO ESSE SIM..TEM AS REFORMAS CONDENADAS.
"SEM PALAVRAS"
http://latf.blogs.sapo.ptferreira
(http://latf.blogs.sapo.pt)
(mailto:luis.ferreira.15@netvisao.pt)


De Anónimo a 21 de Fevereiro de 2006 às 17:06
Concordo inteiramente com esta carta, já houve resposta??rules
(http://movrevpt.blogspot.com)
(mailto:viking666@clix.pt)


De Anónimo a 21 de Fevereiro de 2006 às 00:00
Subscrevo inteiramente.

Se a S.S. for de vela, quero ver quem nos leva a bom porto...Ax´istomuitoestranho
(http://axistomuitoestranho.blogspot.com/)
(mailto:camuolas@hotmail.com)


De Anónimo a 20 de Fevereiro de 2006 às 02:49
Com tua licença, vou armar-me em Zeca do Plagiadíssimo e vou publicar isto (citando a fonte, claro, como o Zeca faz). Está bom demais. E gosto de ouvir opiniões diferentes, mas este texto não as admite. Quem discordar disto só pode ser um imbecil.Macaco Adriano
(http://www.bananasdarepublica.blogspot.com)
(mailto:bananasdarepublica@gmail.com)


De Anónimo a 18 de Fevereiro de 2006 às 09:41
Eu também estou nessa. Devolvam-me os descontos mais juros e vou-me embora.Henrique
(http://horabsurda.blogspot.com)
(mailto:hjesu@netcabo.pt)


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 23:58
Comungo (no sentido figurado, é claro...) da tua análise e, já agora, também quero o meu, rôda-se, antes que qualquer ministro faça como o presidente da câmara de oeiras e diga que a maçaroca é de um primo das berças que por acaso até está lá fora... ou como o presidente do banco de portugal que anda sempre a dizer que não se pode pagar tanto e que tem que haver mais despedimentos... só com o que ganha mensalmente, o bandido, ganhando metade (e mesmo assim), já era capaz de fazer com que dezenas de desempregados pudessem viver um pouco acima do limiar da pobreza. Rôda-se nos gajos! UGA!CASTOR
(http://diquedocastor.blogs.sapo.pt)
(mailto:diquedocastor@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 22:19
Excelente!

Bom fim-de-semana. É curioso
(http://ecurioso.blogs.sapo.pt/)
(mailto:jocaco@mail.pt)


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 21:28
Tem graça, mas os Portugueses ainda não compreenderam que estes políticos que nos têm (des)governado, odeiam os PORTUGUESES ? Estes politicos só gostam das tais minorias ?


PERIGO AMARELO
O "Perigo Amarelo" chegou e com a cumplicidade do Governo Português e da falta de planeamento das Câmaras, prepara-se para destruir o pouco que resta do comércio tradicional e afundar a já precária economia nacional.

Não fosse a habitual falta de conhecimentos da população e o que esperaria seria um total boicote a estas lojas por parte da população, mas como gostamos de embarcar de olhos fechados em tudo o que seja novidade, aí estamos nós a contribuir para o afundamento do país. Aqui ficam alguns dados sobre as lojas chinesas e a pergunta:

O que andam as associações de comerciantes a fazer?



- Sabia que os preços baixos praticados nas lojas chinesas são conseguidos à custa de trabalho em regime de escravatura, trabalho infantil e total desprezo pelos direitos humanos?



- Sabia que o nosso querido Governo concede a essas lojas uma isenção do pagamento de impostos por um período de vários anos?



- Sabia que o Governo Chinês subsidia as altas rendas que os chineses pagam pelas lojas com a condição de todo o stock vir directamente da China?



- Sabia que as rendas exorbitantes que os chineses pagam por essas lojas (há rendas de mais de 3.500EUR mensais) irão inflacionar o mercado de arrendamento comercial e amanhã estarão os senhorios a pedir o mesmo preço a qualquer comerciante português?



- Sabia que existem máfias chinesas a lavar dinheiro da venda de droga e armamento através de algumas dessas lojas?



- Sabia que por falta de planeamento urbanístico, há ruas em Portimão onde deixaram abrir 5 e 6 lojas chinesas que arruinaram todo o comércio à sua volta?



- Sabia que o levantamento das restrições à entrada de têxteis chineses em Portugal já obrigou ao encerramento de dezenas de fábricas de têxteis no norte do país, com o consequente despedimento de milhares de trabalhadores?



- Sabia que os poucos cêntimos que poupa ao comprar em lojas chinesas, contribuem para a falência de muitas lojas portuguesas e para lançar no desemprego milhares de trabalhadores?



- Sabia que esses novos desempregados vão sobreviver à custa do Subsidio de Desemprego que é mantido com os impostos que todos nós pagamos?



Por tudo isto, pense duas vezes antes de entrar numa loja chinesa. Pode estar a arruinar o seu futuro e o dos seus filhos. Se acha que os cêntimos que poupou na loja do chinês são mais importantes que o futuro do comércio local, que o futuro da economia do país e que o futuro de todos nós, então continue a comprar aos chineses.

Eles e o Governo Chinês agradecem!




FERREIRA
(http://)
(mailto:LUIS.FERREIRA.15@NETVISAO.PT)


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 13:03
É curioso, quando vi o Ministro no outro dia a apresentar mais esta genial ideia, foi isto que me veio à cabeça. Digo-o há muito; Vivemos cada vez mais numa democracia ao estilo sul-americano, em que os gajos que se apanham no poder, papam tudo e pedem sacrifícios à população, fazem as leis que lhes convém e colocam-se acima das mesmas.
Mas a culpa, meu caro. É nossa! Somos nós que os metemos lá.
O que mais me irrita é ouvir alguém (e não são poucos) dizer que hesita entre PS e PSD porque os outros Partidos "Não são nada de jeito!"
Somos um povo ignorante e temos os líderes que merecemos!
Excelente poste!!! Francis
(http://www.barbiku.blogspot.com)
(mailto:varela488@hotmail.com)


Comentar post

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Enfim os combustíveis

. O Homem do Leme

. É desta!

. Há sempre uma forma de ch...

. Deve ser da Latitude....

. Sacudindo a água do capot...

. Ingenuidade dos cidadãos

. CSI

. Surpresa ????

. Segurança no trabalho...e...

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.links

.ico

.Referer.org


referer referrer referers referrers http_referer
blogs SAPO